Programa seleciona guardiões para Mangues na Zona Oeste

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria de Ambiente e Clima, lançou, nesta segunda-feira (5/6), Dia Mundial do Meio Ambiente, o programa Guardiões dos Mangues. O projeto tem por objetivo recuperar e cuidar da manutenção dos mangues da cidade com a participação dos moradores dos locais beneficiados pelo programa.

A secretária Tainá de Paula, presente ao evento, ressaltou que a biodiversidade dos mangues faz com que essas regiões tenham um ecossistema produtivo e benéfico para o equilíbrio do meio ambiente. E destacou o papel que eles têm na regulação das catástrofes climáticas.

Mangues saudáveis podem auxiliar na regulação de catástrofes climáticas como enchentes, secas, clima, além de recuperar a degradação dos solos – disse a secretária.

Na Zona Oeste, foram mapeadas cinco áreas de mangues: Praia da Brisa, em Pedra de Guaratiba;  Reserva Biológica de Guaratiba e Restinga da Marambaia, além da foz dos Canais de São Fernando e Guandu, em Santa Cruz.

As frentes de trabalho, com quatro pessoas em cada uma delas, terão encarregados que receberão uma bolsa auxílio no valor de R$ 1.250 mensais, enquanto os demais guardiões receberão R$ 1.000. Todos serão responsáveis pela gestão de cada uma dessas frentes de trabalho, protegendo e reportando situações aos órgãos responsáveis pela manutenção de seus respectivos mangues.

Esse é um projeto muito importante para a sobrevivência do ecossistema, da fauna marinha. Os mangues são verdadeiros filtros para que a água seja pura e cristalina, o que faz com que a biodiversidade só cresça. Estávamos esperando um projeto dessa magnitude para termos um futuro ambiental benéfico para a sociedade – disse Luiz Claudio da Silva, que é presidente de uma associação de pescadores em Sepetiba e foi selecionado para atuar como guardião por já lutar pelo meio ambiente na sua região.