Avançam as obras do Anel Viário de Campo Grande

Após a entrada em vigor da Lei Zona Oeste, aprovada pelo vereador Zico, em setembro de 2022, que definiu os 22 bairros da Zona Oeste Raiz e impediu que recursos financeiros continuassem a ser aplicados na Barra da Tijuca, Jacarepaguá e Recreio dos Bandeirantes como se fosse na Zona Oeste Raiz, as obras do Anel Viário de Campo Grande seguem a todo vapor. De acordo com o projeto, será construído um mergulhão sob a Avenida Cesário de Melo, um túnel de 600 metros com duas galerias sob o morro Luiz Bom, além da implementação das rotatórias na Rua Artur Rios e Estrada da Caroba. As novas rotas irão permitir o escoamento de tráfego de veículos na região central, diminuindo o tempo de deslocamento em até 30 minutos e facilitando a circulação. Além disso, vai facilitar o acesso a importantes vias, como a Avenida Brasil e o Arco Metropolitano. O projeto inclui ainda dois quilômetros de ciclovia.

O Plano de Mobilidade de Campo Grande conta com outras intervenções. Serão executadas obras como a ligação expressa da Estrada da Posse com a Avenida Brasil, passando por áreas ainda pouco adensadas. O objetivo é diminuir o fluxo veicular de vias saturadas como as estradas do Mendanha e do Lameirão. Também está planejada a implantação de um túnel sob o Morro João Vicente, além de pontes e viadutos.

O Binário Rio/SP (interseções entre a Estrada Rio-São Paulo, Rua Vitor Alves e a Estrada Rio do A); Largo da Maçonaria (otimização e distribuição de interseções viárias na Estrada do Mendanha); Duplicação da Estrada da Cachamorra, concluem o grande plano de mobilidade de Campo Grande, que é o maior bairro do país.

Outra grande intervenção prevista para integrar o Anel Viário é a implantação da nova Floresta da Posse. Uma área verde no coração de Campo Grande, com 950 mil m² – algo equivalente a mais de 130 campos de futebol. O projeto prevê o plantio de 240 mil árvores e recuperação dos mananciais, além de proteção da fauna e da flora nativas.

 

Postado em _Slider, Noticias, Obras