Canal da Rua Arthur Rios está abandonado

O Canal da Rua  Arthur Rios, que liga os bairros de Senador Augusto de Vasconcelos e Campo Grande pelo lado sul, vive a sua maior crise de manutenção. Suas paredes internas, outrora cimentadas e limpas com frequência, hoje acumulam mato, lixo, e até uma árvore já cresceu no espaço.

A Prefeitura do Rio, por meio da  Fundação Rio-Águas e com o apoio da Comlurb e das subprefeituras das áreas, costuma solucionar este tipo de problema. Esse caso foge a regra. O mato que cresce nas paredes do canal, quando cortado, não é mais retirado, acumulando lixo e atraindo catadores de entulhos que descartam ali suas cargas. Em alguns trechos dos três quilômetros de canal o mato não é  cortado.

A Fundação Parques e Jardins também trata mal do canal. No momento em que os Flamboyants envelheceram, foram trocados por uma variedade de espécies de árvores impróprias para o local, trocando a harmonia ambiental por uma grande poluição visual. Para agravar elas obstruem a passagem de pedestres. Várias espécies diferentes de árvores foram usadas. Em tempos de Anel Viário, faz-se necessário um projeto de recuperação das paredes, construção de muretas protetoras e calçadas.

Assim está a obra no Canal do Jardim de Alah, na zona sul.